Telefone para contato:

(54) 98126-4699

Vivendo com o Câncer Colorretal
Dez03

Vivendo com o Câncer Colorretal

Acompanhamento após o Tratamento do Câncer Colorretal Após o término do tratamento, iniciam-se os exames de controle, que incluem exames de sangue, exames de imagem (tomografia, ressonância magnética, ultrassom, raios X), e algumas vezes colonoscopia. Esse acompanhamento periódico deverá ser feito por vários anos, mas com o tempo serão menos frequentes. Se você tiver algum problema ou detectar qualquer sintoma novo, entre em contato com o seu médico o mais rapidamente possível. Pode parecer que seu tratamento terminou quando você saiu do hospital ou do ambulatório. No entanto, o tratamento pode ter causado mudanças temporárias ou permanentes em seu corpo. Nesse momento, a parte emocional pode vir a aflorar. Embora você possa sentir que deixou o câncer para trás de você, é possível que a sua recuperação emocional possa estar apenas começando. A medida que  seus exames de controle se tornam menos frequentes, sua família e seus amigos podem comentar que este é um bom sinal, e é claro que é. No entanto, ir ao hospital, muitas vezes dá às pessoas uma sensação de insegurança, e por ser um local de tratamento, muitas pessoas passem a sentir-se abandonadas e um pouco assustadas por já não precisar voltar regularmente. Pode experimentar diversas emoções como: Medo que o câncer volte. Raiva por achar que não é capaz de continuar vivendo. Irritação ao pensar que as pessoas ao seu redor não entendem como você está se sentindo. Adaptando a Vida após o Câncer Colorretal Muitas pessoas ficam ansiosas por um determinado período de tempo antes de reassumirem seus compromissos anteriores à doença. Isso é natural e encontrar o apoio que necessita na família, nos amigos ou mesmo em um grupo de apoio pode ajudar muito. Você agora tem a chance de decidir como quer viver o futuro. Você pode querer fazer as coisas que você sempre pensou, mas nunca fez, talvez, visitar lugares que você sempre sonhou, ou enriquecer suas relações pessoais....

Leia Mais
Alimentação de Qualidade durante o Tratamento do Câncer Colorretal
Dez03

Alimentação de Qualidade durante o Tratamento do Câncer Colorretal

Os tratamentos contra o câncer colorretal, na maioria das vezes, podem trazer alguns efeitos colaterais interferindo na forma como o paciente se alimenta. Está comprovado que uma alimentação saudável, aquela que contêm nutrientes (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas, minerais e fibras) em quantidades adequadas são indicadas em todas as etapas da doença, mas em especial durante o tratamento. O planejamento alimentar é parte importante do tratamento do câncer colorretal. Uma alimentação correta durante essa fase pode contribuir para o seu bem estar e fortalecimento, evitando a degeneração dos tecidos do corpo e ajudando a reconstruir aqueles que o tratamento contra o câncer possa ter prejudicado. Pacientes com boa alimentação durante o tratamento de câncer colorretal têm melhores condições de vencer os efeitos colaterais e de enfrentar, com êxito, a administração de doses mais altas de certos medicamentos. Alimentar-se bem é vital para o trabalho do corpo. Pacientes com câncer que têm bons hábitos alimentares podem ter mais disposição para enfrentar os efeitos colaterais do tratamento, adquirir menos infecções e estar apto a ter uma vida normal. Quando não se ingere a quantidade suficiente ou o tipo correto de alimento, o corpo utiliza os nutrientes que tem armazenado para servirem de fonte de energia. O resultado é que as defesas naturais diminuem e o corpo não consegue combater as infecções. No entanto, esse sistema de defesa é importantíssimo para quem tem de enfrentar o tratamento contra a doença, pois nessas circunstâncias, é sempre grande o risco de adquirir infecções. Lembre-se que uma boa alimentação é extremamente importante quando o corpo está combatendo uma doença. Caso tenha alguma dúvida, procure um nutricionista oncológico que poderá lhe orientar nesse momento. Dicas de Alimentação Fracione as refeições. Opte por pequenas porções de 3 em 3 horas. Adquira o hábito de colorir o seu prato com porções de verduras, legumes e cereais. Um prato colorido significa nutrientes diferentes e importantes para o bom andamento do seu organismo. Diminua o consumo de fritura e alimentos que contenham sal. Coma devagar e mastigue bem os alimentos. Evite alimentos industrializados. Hidrate-se com água, sucos naturais ou água de coco....

Leia Mais
Mitos e Verdades sobre a Bolsinha de Colostomia
Dez03

Mitos e Verdades sobre a Bolsinha de Colostomia

Descubra como as pessoas estomizadas podem levar vida normal, devendo apenas respeitar seus limites A bolsa coletora deve ser sempre usada? Verdade – Uma vez colocada, a bolsa deve ser usada sempre, pois a vontade de evacuar pode vir a qualquer momento. O uso de água está restrito nesse período? Mito – Não, a hidratação deve ser plena, hidratando o corpo como um todo. Deverei comprar roupas adaptadas? Mito – Após a cirurgia, muitos pacientes preocupam-se com a possibilidade de que a bolsa seja notada por debaixo da roupa. No entanto, é importante dizer que as bolsas, em sua maioria, são finas e ficam bem ajustadas ao corpo. Ou seja, você poderá levar uma vida normal, utilizando suas antigas roupas. Poderei me exercitar normalmente? Verdade – A prática de atividades físicas está liberada, mas com cautela e somente quando seu médico as autorize. A recuperação de uma cirurgia como a do câncer colorretal pode variar de paciente para paciente. Dessa forma, o retorno à prática esportiva dependerá da cicatrização e da vontade do paciente. Algumas recomendações são importantes: esportes de contato como futebol, vôlei, basquete devem ser evitados pelo risco de agressão ao estoma, além disso, o levantamento de peso excessivo também deve ser evitado. Devo tomar cuidado com a minha alimentação? Verdade – De acordo com algumas orientações publicadas pelo Instituto Nacional do Câncer para pessoas ostomizadas os efeitos dos alimentos no organismo podem ser diferentes de uma pessoa para outra. Para você, que tem um estoma, é importante esclarecer que com o tempo poderá alimentar-se quase da mesma forma que fazia antes. Ao experimentar um alimento novo, faça-o em pequena quantidade. Procure descobrir como seu organismo reage a cada tipo de comida. Alguns alimentos produzem gases demais, como os ovos, feijão e bebidas gasosas. Outros amolecem demais as fezes, como as verduras e frutas cruas, lentilha, ervilhas e bagaços de laranja. Há também alimentos que provocam prisão de ventre, como a batata, inhame, maçã cozida, banana prata e arroz branco. Atenção aos alimentos que produzem cheiros fortes, como a cebola, alho cru, ovos cozidos, repolho e frutos do mar. Outros, ao contrário, neutralizam odores fortes, como cenoura, chuchu, espinafre e maizena. Diante da minha nova condição é aconselhável que eu não volte a trabalhar ou trabalhe de casa? Mito – O retorno ao trabalho é sempre aconselhável, diante das condições físicas e emocionais do paciente. A vida continuará normal, com algumas adaptações, é claro. O período de afastamento do trabalho é determinado pelo médico e o seu retorno também. Lembre-se: quando retornar ao trabalho não se esqueça de levar o equipamento para troca de emergência. Minha vida sexual continuará normal? Verdade – Após a cicatrização da cirurgia...

Leia Mais
Conversando com os meus Familiares sobre o Câncer Coloretal
Dez03

Conversando com os meus Familiares sobre o Câncer Coloretal

Ser diagnosticado de câncer colorretal afeta muitos aspectos da vida do paciente, não apenas seu bem-estar físico, mas também o mental. O tratamento do câncer é desgastante e, na maioria dos casos, gera no paciente e nos familiares sentimentos antes desconhecidos. Frequentemente, após ouvir o diagnóstico, os pacientes se sentem assustados e não apenas por si mesmos, mas também pelos seus familiares. Por exemplo, se eventualmente algum outro membro da família terá a doença ou como a família irá enfrentar esta fase e como será o futuro. Contar com o apoio de familiares e amigos nesse momento é fundamental. Conversar de forma sincera e aberta com os membros da família é importante para que os percursos do tratamento sejam enfrentados de maneira satisfatória. O câncer ainda é, infelizmente, encarado como um tabu social, mas o paciente não precisa e nem deve agir dessa forma dentro de sua casa. Durante o diagnóstico, o tratamento e após ele, mudanças na rotina familiar e nas funções exercidas por cada membro poderão ser necessárias. Delegar tarefas simples como fazer o supermercado, pagar uma conta no banco ou pegar um filho na escola podem ajudar muito. Também é muito importante que tanto o paciente quanto os familiares fiquem cientes de como será o tratamento e quais os possíveis efeitos colaterais que poderão apresentar-se. Algumas famílias marcam uma consulta especial com o médico para esclarecer todas as suas dúvidas. Cuidados que os familiares deverão tomar Qualquer adulto, em qualquer idade pode vir a desenvolver o câncer colorretal, entretanto, a idade mais comum para o surgimento desse tipo de câncer é a partir dos 50 anos atingindo igualmente homens e mulheres. Pessoas com histórico familiar de câncer colorretal em parentes de primeiro grau (pai, mãe, irmão) com menos de 60 anos ou em 2 parentes (ou mais) de primeiro grau, portadores de pólipos adenomatosos no intestino e reto, doenças inflamatórias intestinais (doença de Cohn ou colite ulcerativa) são mais propensas a desenvolver esse tipo de câncer. Outros fatores de risco que podem estar relacionados a esse tipo de câncer são: dietas ricas em gorduras, sedentarismo e o consumo de tabaco. Como familiar o que eu posso fazer para me cuidar? Abaixo selecionamos alguns dos principais exames para o diagnóstico da doença: Consulte seu médico de confiança pelo menos uma vez por ano. Sangue oculto nas fezes: a partir dos 50 anos de idade, anualmente. Colonoscopia: a partir dos 50 anos, dependendo de seu risco, a critério médico. Manter uma dieta equilibrada e peso adequado. Realizar atividade física frequente, pelo menos 3 vezes por semana....

Leia Mais
Sexualidade durante o Tratamento do Câncer Colorretal
Dez03

Sexualidade durante o Tratamento do Câncer Colorretal

A sexualidade é um dos pilares para a construção de uma boa qualidade de vida. Durante o tratamento contra o câncer colorretal, o paciente vive situações que podem interferir na sua sexualidade. As alterações na sexualidade são experiências individuais, que variam muito de pessoa a pessoa. Alguns pacientes declaram que o maior desafio está no pós-operatório quando, em alguns casos, a bolsa de colostomia é utilizada. Apesar da grande variedade e versatilidade das bolsas existentes hoje no mercado, o contato íntimo e a exposição da bolsinha trazem desconfortos e até vergonha não apenas para o paciente, mas para o seu parceiro (a) também. Esse tipo de sentimentos são comuns e esperados. A quimioterapia também é uma fase muito difícil para os pacientes que estão em tratamento de câncer colorretal. Os efeitos colaterais da medicação fazem com que a libido do paciente diminua, provocando desinteresse sexual. Nas mulheres, por exemplo, pode ocorrer também amenorreia – ausência de menstruação – ou diminuição na lubrificação vaginal. Essas mudanças no organismo exigem cuidados especiais. É importante que você saiba que muitos desses transtornos são passageiros e outros podem ser diminuídos ou eliminados com apoio psicoterápico. As modificações no organismo durante o tratamento e o estado de espírito do paciente acabam trazendo consequências para a vida do casal. Embora possa existir alguma dificuldade, é bom que o casal converse sobre a nova realidade e descubra juntos novas formas de convivência íntimas igualmente satisfatórias. Ajuda terapêutica também pode ser uma opção. Por meio das orientações psicológicas esses problemas podem ser superados com relativa facilidade, afastando-se ou reduzindo-se a possibilidade de evoluírem para um quadro mais grave de depressão. Dicas e Orientações Converse com o seu parceiro e exponha seus sentimentos. A comunicação aberta entre o casal fortalece o relacionamento e ajuda na criação de maneiras criativas para manter a intimidade. Converse com o seu médico. Ele poderá lhe orientar sobre essa fase e até mesmo prescrever medicamentos para combater os efeitos colaterais do tratamento e o motivo que o leva ao desinteresse sexual. Caso sinta necessidade procure ajuda terapêutica. O psicooncologista poderá lhe auxiliar durante essa fase de adaptação e mudanças....

Leia Mais
Mudanças no Estilo de Vida após o Câncer Colorretal
Dez03

Mudanças no Estilo de Vida após o Câncer Colorretal

Você não pode mudar o fato de você ter tido câncer colorretal, mas pode mudar o seu modo de vida. Faça escolhas saudáveis, sinta-se bem, reveja seus objetivos, encare a vida de uma nova forma. Faça Escolhas Saudáveis O diagnóstico de câncer colorretal faz com que a maioria dos pacientes passe a ver a vida sob outra perspectiva. Muitos começam a se preocupar com a saúde, tentam alimentar-se melhor, levar uma vida menos sedentária, tentam maneirar no álcool ou param de fumar. Não se estresse com pequenas coisas. É o momento de reavaliar a vida e fazer mudanças. Se preocupe com sua saúde.         Alimente-se Bem Tente não se preocupar com a mudança no paladar ou o possível ganho de peso devido ao tratamento. Se você tem dificuldades para se alimentar, procure mudar seus hábitos alimentares. Coma menos e mais vezes por dia. As coisas tendem a melhorar com o tempo. Se você sentir necessidade procure um nutricionista. Uma das melhores coisas a se fazer agora é reorganizar seus hábitos alimentares. Opte por alimentos mais saudáveis e tente manter um peso adequado. Você se surpreenderá com os benefícios que isso irá lhe trazer.         Exercícios, Cansaço e Repouso A sensação de estar sempre cansado pode ser comum após o tratamento. Porém é um tipo de cansaço diferente, que não melhora após um período de descanso. É uma espécie de fadiga e uma das maneiras de reduzir essa sensação é justamente buscar se exercitar, mesmo sendo difícil. Comece aos poucos, no seu ritmo, e vá aumentando os exercícios conforme vá se sentindo com mais disposição. Converse com seu médico sobre o melhor momento para iniciar a prática de exercícios, pode também consultar com um fisioterapeuta especializado que poderá lhe orientar de maneira adequada. Benefícios das atividades físicas: Melhora o condicionamento cardiovascular. Aliado a uma boa dieta, ajuda na perda de peso. Melhora a musculatura. Reduz a fadiga. Pode diminuir a ansiedade e depressão. Pode fazer com que você se sinta mais feliz e melhor consigo mesmo. Reduz as chances de um novo câncer. Recidiva A maioria dos pacientes quer saber o que podem fazer para diminuir ou até mesmo evitar que a doença volte. Embora estas mudanças possam ajudar nessa prevenção, não há como garantir a sua eficácia. No entanto, pode ser interessante tomar algumas medidas que podem ajudar a reduzir esse risco. Parar de fumar é uma das coisas que ajudam não só a evitar o risco de um novo câncer, como, também, aumentar o tempo de vida, mesmo daqueles que já tem metástase. Se preocupar com a alimentação também é válido....

Leia Mais
Página 1 de 212