Telefone para contato:

(54) 98126-4699

Sinais e Sintomas do Câncer de Mama
Out24

Sinais e Sintomas do Câncer de Mama

Os sinais e sintomas do câncer podem variar, e algumas mulheres que têm câncer podem não apresentar nenhum destes sinais e sintomas. De qualquer maneira, é recomendável que a mulher conheça suas mamas, e saiba reconhecer alterações para poder alertar o médico. A melhor época do mês para que a mulher que ainda menstrua avalie as próprias mamas para procurar alterações é alguns dias após a menstruação, quando as mamas estão menos ingurgitadas (inchadas). Nas mulheres que já estão na menopausa, este autoexame pode ser feito em qualquer época do mês. Alterações devem ser relatadas ao seu médico, mesmo que elas tenham aparecido pouco tempo depois de uma mamografia ou de exame clínico das mamas feito pelo profissional de saúde. O câncer de mama pode apresentar vários sinais e sintomas, como: Nódulo único endurecido. Abaulamento de uma parte da mama. Inchaço (edema) da pele. Vermelhidão (eritema) na pele. Inversão do mamilo. Sensação de massa ou nódulo em uma das mamas. Sensação de nódulo aumentado na axila. Espessamento ou retração da pele ou do mamilo. Secreção sanguinolenta ou serosa pelos mamilos. Inchaço do braço. Vale a pena lembrar que na grande maioria dos casos, a vermelhidão, inchaço na pele e mesmo aumento dos gânglios na axila representam inflamação ou infecção (mastite, por exemplo), especialmente se acompanhados de dor. Mas como existe uma forma rara de câncer de mama que se manifesta como inflamação, estes achados devem ser relatados ao médico da mesma maneira, e a mulher deve passar por um exame clínico, obrigatoriamente. Quem procurar se você tiver sinais e sintomas suspeitos Se você tiver algum dos sinais ou sintomas descritos acima, a pessoa que você deve procurar imediatamente é o seu ginecologista ou mastologista. Quanto mais a mulher estiver familiarizada com a aparência, sensações, formas, consistência ou texturas de suas próprias mamas, mais rapidamente pode detectar qualquer alteração. É fundamental que o diagnóstico do câncer de mama seja feito o mais precocemente possível, aumentando assim as chances de cura, favorecendo o prognóstico, a recuperação e a reabilitação. É importante lembrar que muitas vezes, nos casos iniciais, os sintomas não estão presentes, por isso é imprescindível o exame físico realizado pelo médico, à ultrassonografia das mamas e a mamografia com periodicidade anual ou a critério médico, considerando a faixa etária e fatores de risco individuais....

Leia Mais
Alterações Benignas das Mamas
Out24

Alterações Benignas das Mamas

As principais alterações benignas das mamas são o fibroadenoma e as alterações funcionais. O fibroadenoma é um nódulo pequeno, com até 3 cm, de origem e evolução benigna, de consistência dura e elástica, móvel à palpação, de superfície lobulada, bem delimitado, indolor, geralmente único e que aparece depois da adolescência. Trata-se de uma lesão sem potencial de malignização. Certos tipos de câncer, chamados tumores circunscritos, podem simular um fibroadenoma, sendo, portanto, prudente que os fibroadenomas sejam submetidos à confirmação histopatológica (estudo da célula). A causa mais frequente de dor mamária é a alteração funcional benigna da mama, antes conhecida como displasia mamária. A dor é cíclica e depende da ação dos hormônios ovarianos sobre a mama, tornando-a túrgida e dolorida, principalmente no período pré-menstrual e que pode ainda ser agravada pela ingestão exagerada de cafeína (café, chá mate, chocolate). A mulher com duas ou mais gestações e que amamentou por mais de seis meses, em geral, não refere esse tipo de dor mamária. Os traumas, infecções, neurites e inflamações nos arcos costais são outras causas de dor na região das mamas. Como regra geral lembre-se: o câncer de mama não provoca dor na sua fase inicial. Uma alteração funcional bastante comum são os cistos mamários. Na grande maioria dos casos, o cisto mamário simples é uma alteração benigna e consiste no acúmulo de líquido, ocasionando maior sensibilidade ou provocando dor localizada, sem qualquer outra repercussão. É uma pequena bolha de água que pode ser esvaziada com uma agulha quando atrapalha a realização da mamografia ou provoca dor constante. Haverá risco de doença, quando associado a um componente sólido denominado “vegetação” e que se situa dentro dessa bolha de líquido, fato que não costuma ocorrer com frequência. A maioria dos cistos é pequena (microcistos), surgem próximos do período menstrual e tornam as mamas doloridas. Em geral não são palpáveis e podem ser detectados pela ultrassonografia. Quase sempre são múltiplos, não representam problema clínico e não precisam receber qualquer atenção específica. Os cistos maiores do que 2 cm são facilmente palpáveis, crescem rapidamente e ocasionam desconforto e dor. Possuem consistência amolecida e podem atingir grandes volumes, se não forem aspirados pelo médico usando uma agulha fina. A ultrassonografia é o método diagnóstico ideal da doença cística e dos nódulos sólidos benignos. O cisto aparece como nódulo de contornos bem definidos, com líquido em seu interior. Ao se analisar a mamografia, os cistos podem ser confundidos com nódulos sólidos e alguns médicos podem indicar a sua aspiração, guiada pela ultrassonografia, antes de se realizar a mamografia, evitando a confusão com o nódulo sólido. A mamografia é o exame ideal para doença mamária inicial,...

Leia Mais
Página 2 de 212