Telefone para contato:

(54) 98126-4699

6ª Edição Desfile Amor pela Vida
Out21

6ª Edição Desfile Amor pela Vida

Aconteceu na noite de hoje 21 de outubro a 6ª edição do desfile Amor pela Vida no shopping Iguatemi, onde subiu a passarela 31 mulheres diagnosticadas com câncer onde algumas delas já superaram a doença e outras ainda continuam em tratamento oncológico, juntamente com convidadas da sociedade. Realização: CAPC Apoio e Parceria:                                                                                                                                                                                  Iguatemi                                                                                                                                                                                                Siberian                                                                                                                                                                                          Loucos & Santos                                                                                                                                                              Madison&Cult                                                               ...

Leia Mais
Outubro Rosa 2017 CAPC
Set30

Outubro Rosa 2017 CAPC

Acompanhe a Agenda Rosa 2017  do Centro de Auxilio as Pessoas com Câncer e descubra a melhor data para estar prestigiando as ações alusivas a campanha mundial OUTUBRO ROSA. As amostras fotográficas feitas por Ariane Tomazzoni retratam a beleza das mulheres diagnosticadas com câncer

Leia Mais
Entendendo o Linfedema
Out24

Entendendo o Linfedema

O linfedema é um tipo de contenção de substâncias causado pelo acúmulo anormal de proteínas e líquidos nos tecidos; costuma ser resultante de uma falha de drenagem no sistema linfático, que vem a ser manifestada por inchaço, principalmente nas extremidades dos membros superiores e inferiores. A função de nossas artérias é transportar o sangue para nutrir as células e os tecidos. Após a troca de nutrientes, o sangue pobre em oxigênio retorna pelas veias em direção ao pulmão para que a oxigenação seja renovada. Os líquidos e substâncias que as veias não retiram dos tecidos formam a linfa, composta por água, proteínas e líquidos. Entretanto, pode ocorrer falha nesse sistema de drenagem, causando o linfedema, ou acúmulo dessas substâncias. Quando o linfedema não é tratado rapidamente, torna-se uma doença crônica causando o inchaço da área afetada, aumento de volume, sensação de peso, desconforto, perda parcial de mobilidade, deformações estéticas e dor. O linfedema pode ser consequência de uma cirurgia, como é o caso de câncer de mama, remoção de gânglios axilares, tratamentos à base de radiações, quimioterapia e, como é o óbvio na maioria dos casos, onde houve uma interrupção do sistema linfático. Nessas situações a drenagem linfática é altamente eficaz, já que não só ajuda a reduzir o fluido linfático acumulado no membro afetado, como também encontra percursos colaterais que ajudam a drenar ou reduzir o edema. O linfedema pode ser desencadeado logo após a cirurgia, semanas, ou até mesmo anos mais tarde. A probabilidade de desenvolver após a cirurgia de mastectomia, depende do número de gânglios removidos, da quantidade de radiação recebida e na capacidade que as funcionalidades restantes ainda tiverem para compensar a perda. A prevenção e redução é o principal objetivo no tratamento do linfedema, muito embora, as medidas com esse objetivo sejam paliativas e muitas vezes criticadas na literatura. Na fase precoce, quando os tecidos ainda estão relativamente preservados, pode-se reduzir o membro ao seu tamanho inicial. As medidas terapêuticas utilizadas para a redução do edema são várias e podem ser empregadas individualmente ou em conjunto. A elevação das extremidades é um método simples e efetivo de reduzir o edema. Em virtude da ação da gravidade, o volume dos membros diminui com o repouso continuado no leito. Entende-se como drenagem linfática, iniciar-se por uma massagem que estimula o fluxo nos vasos linfáticos normais, preparando-os para receber o fluido do lado doente. O objetivo dessa massagem seria empurrar o fluido para as veias, os vasos linfáticos profundos ou para as colaterais. O tratamento clínico consiste em medicação adequada, fisioterapia especializada e atividade física regular, e todas as providências devem iniciar o mais breve possível, uma...

Leia Mais
Dicas para o Companheiro de uma Mulher com Câncer de Mama
Out24

Dicas para o Companheiro de uma Mulher com Câncer de Mama

Esteja sempre ao lado dela Este é um momento no qual ela precisará muito de sua ajuda e compreensão. Altos e baixos virão e você deverá auxiliá-la a superar. Dedique-se a cuidar de quem você ama. Defenda sempre o melhor tratamento O tratamento oncológico pode ser, em muitos casos, extremamente burocrático. A cobertura do convênio ou a busca por hospitais da rede pública de saúde requerem uma luta diária e em alguns casos, um pouco de paciência. Desta forma, tente, na medida do possível, se responsabilizar por todos esses trâmites. Além disso, procure informar-se sobre os direitos do paciente com câncer. Isso poderá lhe dar uma maior tranquilidade e segurança. Lembre-se que a informação é uma grande aliada em todos os momentos. Seja organizado Tente ajudá-la a organizar todos os laudos médicos, receitas de medicamentos, documentos que atestam a doença e todos os procedimentos em uma pasta. Nem todos os documentos são importantes, mas existem alguns que não podem ser perdidos. Seja o mais organizado possível. Saiba: “Não é com Você” Caso ela esteja demonstrando muita raiva ou frustração, saiba que isso não é com você. Isso é muito comum em algumas fases da doença. Nessa hora, fique por perto, mesmo que seja em silêncio e lhe dê apoio. Dessa forma, você estará permitindo que ela expresse seus sentimentos e reclamações. Com toda certeza, ela vai se sentir melhor. Fique de olho aos sinais e sintomas da depressão. Se você acha que ela está depressiva, ajude-a a encontrar um suporte emocional adequado, um psiquiatra, caso se trate de uma depressão que precisa ser medicada, ou um psicólogo. Converse com o médico que está acompanhando o caso. Reorganize as tarefas diárias Durante todo o tratamento, algumas mudanças e adaptações deverão ser feitas por todos os membros da família. Tente, na medida do possível, deixar a rotina diária mais parecida possível com o que era antes do tratamento. Entenda que ela pode precisar de ajuda para fazer algumas coisas que antes costumava fazer sozinha. Inclusive, pode ser que você precise assumir algumas de suas responsabilidades. Para o seu próprio bem-estar, peça ajuda aos outros membros da família ou de amigos. Delegue tarefas e pergunte quem pode fazer o quê. Situações simples como fazer o supermercado ou pagar uma conta no banco podem ajudar muito. Seja sempre sincero Não falte com a verdade dizendo que não há nada com que se preocupar. Mudanças na sexualidade do casal A sexualidade é um dos pilares para a construção de uma boa qualidade de vida. Durante o tratamento contra o câncer, o paciente vive situações físicas que podem interferir em sua vida sexual. As modificações...

Leia Mais
Câncer de Mama e Sexualidade
Out24

Câncer de Mama e Sexualidade

Qualquer tipo de câncer costuma ser muito traumático para as pessoas e acarreta consequências físicas e emocionais que precisam ser acompanhadas de perto pelo médico e por profissionais da saúde capacitados para trabalhar o lado mental e emocional do paciente. Existem dois aspectos relevantes que devem ser conhecidos para tornar possível a compreensão da vida sexual de pacientes que sofrem de qualquer tipo de câncer. O primeiro aspecto está relacionado à reação diante da descoberta do câncer, que, algumas vezes exige mutilação do órgão ou da glândula afetada. É comum que a pessoa que recebe o diagnóstico de câncer passe por diferentes períodos emocionais como: negação, depressão, revolta, indignação, dentre outros. Na fase de depressão e de rebeldia, a atividade sexual vai sofrer maior impacto. O paciente se preocupa mais com a sua saúde, exames, medicamentos, cirurgia, radioterapia e quimioterapia do que com sua vida sexual. O desejo sexual diminui muito ou desaparece. A atividade sexual, para muitas pessoas, fica esquecida quando há muitas preocupações na cabeça. No caso específico de pessoas com câncer, a sexualidade fica quase que naturalmente em segundo plano. Muitos indivíduos passam a se ver sem quase nenhuma autoestima, com tristeza e com muito medo de não mais corresponder às demandas sexuais do parceiro. Ser considerado como doente vítima e passível de pena evidentemente afetam a autoestima. Os relacionamentos acabam se complicando bastante, principalmente quando não há muito diálogo aberto e franco entre o casal. O paciente se sente sozinho, incompreendido e, muitas vezes, com dificuldade de comentar ou de perguntar algo sobre a sua vida sexual para o médico. Convém lembrar que medicações antidepressivas podem ser utilizadas e que trazem uma melhora no quadro depressivo e na vida sexual do paciente. Neste caso, é aconselhável que se procure a ajuda de um psiquiatra. Um segundo aspecto é quando o câncer atinge áreas como a mama, que afeta de forma direta o desempenho da atividade sexual. Nesses casos, o médico pode apresentar opções que ajudem a melhorar a autoestima da mulher. O câncer de mama traz muitas complicações na autoimagem das mulheres, diminuindo muito o desejo de se expor ao parceiro. A mama é considerada um ponto importante da feminilidade e se o câncer gerou a necessidade de retirada de uma ou de duas mamas, a mulher pode ficar bastante abalada também sexualmente. O implante de silicone tem ajudado muitas mulheres a recuperar a autoestima. O câncer afeta a vida de um casal em várias dimensões. Ambos devem procurar formas de adaptação que tragam de volta a intimidade e a cumplicidade. Com a estabilidade do câncer, o desejo sexual reaparece e volta a ser importante....

Leia Mais
Mudanças no Estilo de Vida após o Câncer de Mama
Out24

Mudanças no Estilo de Vida após o Câncer de Mama

Você não pode mudar o fato de você ter tido câncer de mama, mas pode mudar o seu modo de vida. Faça escolhas saudáveis, sinta-se bem, reveja seus objetivos, encare a vida de uma nova forma. Faça Escolhas Saudáveis O diagnóstico do câncer de mama faz com que a maioria dos pacientes passe a ver a vida sob outra perspectiva. Muitos começam a se preocupar com a saúde, tentam alimentar-se melhor, levar uma vida menos sedentária, tentam maneirar no álcool ou param de fumar. Não se estresse com pequenas coisas. É o momento de reavaliar a vida e fazer mudanças. Se preocupe com sua saúde.  Alimente-se Bem Tente não se preocupar com a mudança no paladar ou o possível ganho de peso devido ao tratamento. Se você tem dificuldades para se alimentar, procure mudar seus hábitos alimentares. Coma menos e mais vezes por dia. As coisas tendem a melhorar com o tempo. Se você sentir necessidade procure um nutricionista. Uma das melhores coisas a se fazer agora é reorganizar seus hábitos alimentares. Opte por alimentos mais saudáveis e tente manter um peso adequado. Você se surpreenderá com os benefícios que isso irá lhe trazer. Exercícios, Cansaço e Repouso A sensação de estar sempre cansado pode ser comum após o tratamento. Porém é um tipo de cansaço diferente, que não melhora após um período de descanso. É uma espécie de fadiga e uma das maneiras de reduzir essa sensação é justamente buscar se exercitar, mesmo sendo difícil. Comece aos poucos, no seu ritmo, e vá aumentando os exercícios conforme vá se sentindo com mais disposição. Converse com seu médico sobre o melhor momento para iniciar a prática de exercícios, pode também consultar com um fisioterapeuta especializado que poderá lhe orientar de maneira adequada. Benefícios das atividades físicas: Melhora o condicionamento cardiovascular. Aliado a uma boa dieta, ajuda na perda de peso. Melhora a musculatura. Reduz a fadiga. Pode diminuir a ansiedade e depressão. Pode fazer com que você se sinta mais feliz e melhor consigo mesmo. Reduz as chances de um novo câncer. Recidiva A maioria dos pacientes quer saber o que podem fazer para diminuir ou até mesmo evitar que a doença volte. Embora estas mudanças possam ajudar nessa prevenção, não há como garantir a sua eficácia. No entanto, pode ser interessante tomar algumas medidas que podem ajudar a reduzir esse risco. Parar de fumar é uma das coisas que ajudam não só a evitar o risco de um novo câncer, como, também, aumentar o tempo de vida, mesmo daqueles que já tem metástase. Se preocupar com a alimentação também é válido....

Leia Mais
Página 1 de 212