Sobre o Câncer de Pele Não Melanoma
Dez06

Sobre o Câncer de Pele Não Melanoma

O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum e representa mais da metade dos diagnósticos de câncer. São mais de um milhão de novos casos por ano nos Estados Unidos e 134.170 novos casos no Brasil. Há dois tipos básicos de câncer de pele: Não melanoma, geralmente das células basais ou das escamosas, e o melanoma, que têm origem nos melanócitos, as células produtoras de melanina. O câncer de pele não melanoma representa 95% do total dos casos de câncer de pele e os dois tipos mais comuns são o carcinoma de células basais e o carcinoma de células escamosas. Melanoma O melanoma tem origem nos melanócitos, células produtoras de melanina, que dão cor à pele. O melanoma é o mais agressivo dos tipos de câncer de pele. O carcinoma de células escamosas e o carcinoma de células basais são conhecidos como cânceres de pele não melanoma, para distingui-los do melanoma, que surge a partir de células muito diferentes e é tratado também de forma diferente. Câncer dos Queratinócitos É o tipo de câncer de pele não melanoma mais comum. Eles são chamados de carcinomas de queratinócitos porque suas células têm características desse tipo de células, que é o tipo celular mais abundante da pele normal. Os tipos mais comuns de câncer dos queratinócitos são o carcinoma basocelular e o carcinoma espinocelular. Carcinoma Basocelular – As células da região mais profunda da epiderme são redondas e conhecidas como células basais. Cerca de 80% dos cânceres de pele se desenvolvem a partir deste tipo de célula e é denominado carcinoma basocelular. Na maioria das vezes, o carcinoma basocelular se desenvolve na região da cabeça e pescoço. No passado era diagnosticado quase que exclusivamente em pessoas mais velhas, mas atualmente já é detectado em pessoas mais jovens, provavelmente devido a uma maior exposição ao sol. O carcinoma basocelular tem um crescimento lento, e raramente se espalha para os gânglios linfáticos ou outras partes do corpo. Entretanto, se não for tratado, pode disseminar-se para outros tecidos e órgãos. Carcinoma de Células Escamosas – O carcinoma de células escamosas ou espinocelular tem origem na camada mais superficial da epiderme e responde a 20% do total de casos. Geralmente aparece no rosto, orelhas, lábios, pescoço e no dorso da mão. Pode também surgir de cicatrizes antigas ou feridas crônicas da pele em qualquer parte do corpo e até nos órgãos genitais. Carcinomas espinocelulares têm risco maior que o carcinoma basocelular de invadir o tecido gorduroso, atingir os linfonodos (gânglios linfáticos) e outros órgãos. Queratoacantoma Assemelha-se clínica e histopatologicamente ao carcinoma de pele de células escamosas. Localiza-se de preferência em áreas descobertas como face, antebraço,...

Leia Mais
Lesões Pré-Cancerosas da Pele
Dez06

Lesões Pré-Cancerosas da Pele

As lesões pré-cancerosas podem evoluir para a doença ou podem já serem um câncer de pele não melanoma em estágio inicial. Queratoses Actínica A queratose actínica, também conhecida como queratose solar, é uma condição pré-cancerosa causada pela exposição excessiva ao sol, muito comum em pessoas acima dos 40 anos de idade. De forma geral se apresentam como pequenos pontos irregulares, nas cores rosa, vermelho ou beije, na face, orelhas, dorso das mãos e braços das pessoas com pele clara, embora possa surgir em outras áreas expostas ao sol. As queratoses actínicas são de crescimento lento, e não apresentam sintomas. Em alguns casos, podem se transformar em câncer dos queratinócitos. Embora a maioria das queratoses actínicas não se torne câncer, elas são um aviso de que sua pele apresenta muitos danos provocados pela exposição ao sol. Carcinoma de células escamosas in situ O carcinoma de células escamosas in situ ou doença de Bowen, é precursor do câncer de células escamosas da pele. In situ significa que o câncer ainda está restrito ao local onde se originou e se caracteriza pelo aparecimento de manchas rosadas na pele, também provocadas pela exposição ao sol. Clinicamente, caracteriza-se por uma área eritematosa coberta por crostas, com lesões bem definidas com bordas irregulares. A maioria dos pacientes é idosa e, em um terço deles as lesões são múltiplas. A doença de Bowen também pode ocorrer na pele das áreas anal e genital, muitas vezes relacionada a infecções sexualmente transmissíveis pelo vírus do papiloma humano (HPV).  <–...

Leia Mais
Tumores Benignos da Pele
Dez06

Tumores Benignos da Pele

Os tumores benignos que se desenvolvem a partir de outros tipos de células da pele incluem: A maioria dos tipos de pintas. Queratoses seborreicas – Pontos salientes marrons ou pretos com superfície áspera. Hemangiomas – Crescimentos benignos dos vasos sanguíneos muitas vezes chamados de manchas de cereja, morango ou vinho do porto. Lipomas – Tumores benignos das células adiposas (gordura). Verrugas – Crescimentos de superfície áspera, causados por vírus. A maioria desses tumores raramente, ou nunca, se transforma em câncer. Existem ainda outros tipos de tumores benignos na pele, mas são incomuns.  <–...

Leia Mais
Sinais e Sintomas do Câncer de Pele não Melanoma
Dez06

Sinais e Sintomas do Câncer de Pele não Melanoma

O principal sinal de alerta do câncer de pele é alguma alteração na pele. O câncer de pele (não melanoma), muitas vezes, inicia-se na pele exposta frequentemente ao sol. O câncer de pele raramente causa sintomas incômodos até as lesões se tornarem muito grandes, podendo sangrar ou mesmo apresentar intensa dor, mas normalmente são visíveis e podem ser sentidos muito antes de chegar a este ponto. O carcinoma basocelular e o espinocelular geralmente são indolores e crescem lentamente. Eles podem aparecer em qualquer lugar do corpo, mas é mais provável que surjam em áreas como o rosto, que está em constante exposição aos fatores ambientais. Ambos podem manifestar-se das mais variadas formas: Os principais sinais e sintomas dos carcinomas de células basais são: Ferida aberta com sangramento, que permanece aberta durante várias semanas. Área avermelhada, em relevo ou irritada, que pode descascar ou coçar, mas que raramente dói. Protuberância de cor rósea brilhante, avermelhada, branco perolado ou transparente. Lesão rósea com borda elevada e parte central encrostada. Cicatriz com área branca, amarela ou cerosa, e bordas mal definidas. Os principais sinais e sintomas dos carcinomas de células escamosas (espinocelular) são: Verruga em crescimento. Mancha persistente, escamosa, vermelha, com bordas irregulares, que sangram facilmente. Ferida aberta que persiste por semanas. Lesão elevada com superfície áspera e uma depressão central. Lesão sensível ao toque. Encontrados, principalmente, na face, couro cabeludo, braços, dorso das mãos e pernas. Detecção Precoce O autoexame regular da pele permite a detecção precoce do câncer de pele, e deve ser realizado em frente a um espelho numa sala iluminada. As seguintes etapas devem ser incluídas no autoexame da pele: Examinar a parte anterior, posterior e lateral do corpo inteiro diante de um espelho, com os braços levantados. Dobrar os cotovelos e olhar cuidadosamente a parte externa e interna dos antebraços, braços e mãos. Examinar a parte anterior, posterior e lateral das pernas e pés, incluindo plantas dos pés e os espaços entre os dedos. Levantar o cabelo para examinar o pescoço e o couro cabeludo com um espelho de mão. Verificar a área genital e nádegas com um espelho de mão. Você deve consultar um médico se detectar: Crescimentos na pele que correspondem a qualquer manifestação citada acima. Desenvolvimento de novas lesões na pele. Alterações suspeitas em manchas de nascença. Ferida que não cicatriza em duas semanas. Se você notar algo incomum na pele que não desapareça em um mês, você deve consultar um médico. No entanto, existem muitas outras condições em que podem aparecer sinais na pele que não sejam câncer, especialmente em pessoas idosas.  <–...

Leia Mais
Perguntas para o Médico sobre o Câncer de Pele Não Melanoma
Dez06

Perguntas para o Médico sobre o Câncer de Pele Não Melanoma

O diagnóstico do câncer cria muitas dúvidas e inseguranças. Anote sempre as suas e pergunte para seu médico. Sugestões de perguntas a serem feitas: Você pode me explicar quais são os diferentes tipos de câncer de pele? Qual o tipo do meu câncer de pele? Qual é o tamanho do tumor? Qual o estadiamento? Você pode me explicar o resultado do exame anatomopatológico? É provável que o tumor tenha se espalhado? Por quê? Quais são as minhas opções de tratamento? Qual tratamento você recomenda? Por quê? Quais são os objetivos do tratamento? Quanto tempo vai durar o tratamento? É possível remover todo o tumor com a cirurgia? Eu farei a biópsia do linfonodo sentinela para verificar se existe disseminação para os gânglios linfáticos? Eu terei uma cicatriz após a cirurgia? Vou sentir dor no local de onde foi removido o câncer? Qual será a aparência da cicatriz após a cirurgia? Quanto tempo leva para cicatrizar? Eu farei algum outro tipo de tratamento após a cirurgia? Quais são os possíveis efeitos colaterais do tratamento, a curto e a longo prazo? Como o tratamento afetará a minha vida diária? Serei capaz de trabalhar, praticar atividades físicas, e realizar as minhas atividades normais? Qual é a probabilidade do câncer voltar? Devo tomar precauções especiais para evitar exposição ao sol? Vou precisar fazer acompanhamento após o tratamento? Durante quanto tempo? Meus familiares correm risco de desenvolver câncer de pele não melanoma? É muito importante perguntar e esclarecer todas suas dúvidas, a informação é um direito seu!  <–...

Leia Mais