Biópsia da Próstata
Out24

Biópsia da Próstata

A biópsia é um procedimento no qual uma amostra de tecido é removida e encaminhada para análise de um patologista. A biópsia por fragmento de agulha grossa (core biopsy) é o principal método utilizado para diagnosticar o câncer de próstata. A core biopsy é realizada geralmente pelo urologista, que com o auxílio da ultrassonografia transretal para localizar a próstata, o procedimento consiste em inserir uma agulha através da parede do reto em direção à próstata. A extração da agulha remove, em frações de segundos, um pequeno cilindro (núcleo) do tecido. Esse procedimento é repetido várias vezes, até que se tenha uma quantidade de amostras suficientes para enviar ao laboratório de patologia. Alguns médicos realizam a biópsia através do períneo, a pele entre o reto e o escroto. O médico posiciona seu dedo no reto do paciente, para sentir a próstata e, em seguida, insere a agulha de biópsia através de uma pequena incisão na pele do períneo. Ambos as técnicas de colheita do material para análise são realizados com anestesia local. Após a realização da biópsia pode ser receitado um antibiótico para prevenir o risco de uma infecção. Nos primeiros dias após o procedimento o paciente poderá sentir algum desconforto ou até mesmo notar sangue na urina ou no sêmen....

Leia Mais
PSA no Diagnóstico do Câncer de Próstata
Out24

PSA no Diagnóstico do Câncer de Próstata

Antígeno Prostático Específico (PSA) Antígeno prostático específico (PSA) é uma substância produzida pelas células da glândula prostática. O PSA é encontrado principalmente no sêmen, mas uma pequena quantidade é também encontrada no sangue. A maioria dos homens saudáveis ​​têm níveis menores de 4 ng/ml de sangue. A chance de um homem desenvolver câncer de próstata aumenta proporcionalmente com o aumento do nível do PSA. Geralmente quando o câncer de próstata está presente o nível do PSA está acima de 4 ng/ml. Entretanto, um nível abaixo desse valor não significa que o câncer não esteja presente. Quase 15% dos homens com PSA abaixo de 4 ng/ml são diagnosticados com câncer de próstata na biópsia. Os homens com nível de PSA na faixa de 4 ng/ml e 10 ng/ml, têm uma chance de 1 em 4 de ter a doença. Se o PSA se encontra acima de 10 ng/ml, a possibilidade de ter câncer de próstata é superior a 50%. O nível de PSA pode estar aumentado por outras razões, como: Aumento de tamanho da próstata: hiperplasia prostática benigna, ou um aumento não canceroso da próstata comum em homens idosos. Idade: os níveis de PSA normalmente aumentam lentamente à medida que o homem envelhece, sem sinal aparente de qualquer doença. Infecção ou inflamação da próstata. A ejaculação pode causar aumento do PSA por um tempo curto, que cai logo em seguida. Andar de bicicleta. Alguns procedimentos urológicos. Outros fatores podem levar os níveis do PSA a valores baixos, mesmo quando o câncer está presente, incluindo: Determinados medicamentos ou sintomas urinários. Algumas misturas de ervas vendidas como suplementos alimentares. Alguns esteróides. Obesidade: homens obesos tendem a ter níveis mais baixos de PSA. Aspirina: homens que tomam aspirina regularmente tendem a ter níveis mais baixos de PSA. Este efeito é mais pronunciado em não fumantes. Se o nível do PSA estiver alto, o médico pode solicitar uma biópsia da próstata. Outros médicos levam em consideração os resultados de novos tipos de exames do PSA para decidir se deve ou não solicitar uma biópsia da próstata. Mas, ainda nem todos os médicos concordam em utilizar os resultados desses novos exames. Porcentual do PSA Livre O PSA tem duas formas no sangue. Na primeira as proteínas do sangue estão ligadas, enquanto que na segunda circulam livres (independentemente). O percentual de PSA livre é a razão entre a quantidade de PSA que circula livremente em comparação com o nível do PSA total. O porcentual do PSA livre é menor em homens com câncer de próstata. Este exame é utilizado ocasionalmente para ajudar a decidir o diagnóstico de uma biópsia da próstata com resultados de PSA na...

Leia Mais
Exames de Imagem para o Diagnóstico do Câncer de Próstata
Out24

Exames de Imagem para o Diagnóstico do Câncer de Próstata

O diagnóstico do câncer de próstata é baseado no toque retal, no nível do PSA, e no sistema de graduação de Gleason. A partir dessas informações o médico define quais exames de imagem são necessários para fechar o diagnóstico e definir o tratamento. Homens com exame de toque normal, PSA baixo e graduação de Gleason baixa podem não precisar de exames de imagem, uma vez que a chance do câncer ter se disseminado é baixa. Os exames de imagem mais utilizados são: Cintilografia Óssea Quando o câncer de próstata se espalha, muitas vezes o primeiro local é para os ossos. A cintilografia óssea é o exame recomendado para detectar metástase óssea. A cintilografia óssea consiste na injeção de uma pequena quantidade de material radioativo na veia do paciente, após algumas horas esse material é atraído pelo tecido ósseo que apresenta a doença. Para registrar as áreas de captação do material radioativo é utilizada uma câmera especial, que detecta a radioatividade e cria uma imagem do esqueleto. As áreas de dano ósseo aparecem como pontos quentes na imagem do esqueleto. Esses pontos podem sugerir a presença de câncer metastático. No entanto outras doenças, como por exemplo, a artrite apresenta o mesmo padrão de imagem. Para diferenciar o diagnóstico são solicitados outros exames de imagem, como radiografias simples, tomografia computadorizada ou ressonância magnética. A injeção é a única parte desconfortável desse exame. O material radioativo é liberado na urina e a quantidade de radioatividade utilizada é baixa, não oferendo risco para você ou às pessoas próximas. Ultrassonografia Transretal Ao contrário da maioria dos exames de diagnóstico por imagem, a ultrassonografia é uma técnica que não emprega radiação ionizante para a formação da imagem. Ela utiliza ondas sonoras de frequência acima do limite audível para o ser humano, que produzem imagens em tempo real de órgãos, tecidos e fluxo sanguíneo do corpo. A ultrassonografia transretal não é utilizada como exame de rastreamento para o câncer da próstata, porque muitas vezes não detecta o câncer inicial. Mas, é comumente utilizada durante a biópsia da próstata, para guiar o posicionamento das agulhas de biópsia. A ultrassonografia transretal é útil para medir o tamanho da glândula prostática, o que pode ajudar a determinar a densidade do PSA. Tomografia Computadorizada A tomografia computadorizada é um equipamento especial de RaiosX, que fornece imagens transversais detalhadas do corpo. A tomografia computadorizada é uma técnica de diagnóstico por imagem que utiliza a radiaçãoX para visualizar imagens transversais detalhadas de pequenas fatias de regiões do corpo, por meio da rotação do tubo emissor de RaiosX ao redor do paciente. O equipamento possui uma mesa de exames onde o paciente fica...

Leia Mais
Biópsia do Linfonodo
Out24

Biópsia do Linfonodo

Existem diversas técnicas de biópsia dos nódulos linfáticos: Biópsia Cirúrgica A biópsia cirúrgica consiste na remoção dos linfonodos através de uma incisão na parte inferior do abdome, no momento da prostatectomia radical. Durante o procedimento se o cirurgião suspeita que o câncer esteja disseminado, ele pode remover alguns gânglios linfáticos antes de remover a próstata. O patologista, utilizando a técnica de congelação avalia a amostra de tecido retirada. Se for detectada a presença de células cancerosas a cirurgia pode ser interrompida, deixando a próstata no lugar. Isso aconteceria se o cirurgião entender que a remoção da próstata não traria o benefício de cura ao paciente. Atualmente, a próstata é removida, mesmo se os nódulos linfáticos estiverem acometidos. Laparoscopia Um laparoscópico é um tubo longo e fino com uma pequena câmara de vídeo na extremidade, que é inserido no abdome para permitir a visualização e remoção dos gânglios linfáticos. Nesse procedimento são ressecados todos os linfonodos ao redor da glândula prostática, e são enviados para análise de uma patologista. Este procedimento não é comum, mas muitas vezes é utilizada para verificar o comprometimento dos linfonodos quando não está prevista a realização da prostatectomia radical. Punção Aspirativa por Agulha Fina A punção aspirativa por agulha fina (PAAF) consiste na remoção de uma amostra de tecido da próstata para exame. A PAAF é realizada quando é detectado um aumento no tamanho dos nódulos linfáticos na tomografia computadorizada ou na ressonância magnética. A PAAF é um procedimento rápido e pode ser realizado sob anestesia local. O posicionamento da agulha é comumente guiado pela tomografia computadorizada. A coleta do material é realizada com movimentos de vai-e-vem da seringa, até se obter uma quantidade suficiente de material para análise no laboratório de patologia....

Leia Mais
Estadiamento do Câncer de Próstata
Out24

Estadiamento do Câncer de Próstata

Quase todos os patologistas fazem o estadiamento do câncer de próstata seguindo o sistema de graduação Gleason, que utiliza uma escala numérica para classificar o quanto as células estão próximas ao tecido normal ou ao tecido canceroso: Se o tecido analisado tem aspecto similar ao tecido normal da próstata é atribuído grau 1. Se o tecido analisado não tem as mesmas características do tecido normal da próstata, e suas células estão disseminadas na glândula, é classificado como um tumor de grau 5. Os graus de 2 a 4 apresentam características entre estes dois extremos. Como muitas vezes o tumor de próstata têm áreas com diferentes valores, para obter a graduação de Gleason é realizada a soma dos diferentes graus obtidos para produzir a classificação (conhecida como soma de Gleason) entre 2 e 10: Tumores com resultado menos ou igual a 6 são classificados como de baixo grau ou bem diferenciados. Tumores com resultado igual a 7 são classificados como moderadamente diferenciado ou de grau intermediário. Tumores com resultados de 8 a 10 são denominados de mal diferenciados ou de alto grau. Quanto maior o grau na escala de Gleason, maior a probabilidade do tumor se disseminar. O laudo da biópsia contém o grau do câncer (se ele estiver presente), além de outras informações que permitam dar uma melhor idéia do alcance do tumor, como: O número de amostras retiradas na biópsia que contêm células cancerosas, por exemplo: 7 entre 12. A percentagem de células cancerosas em cada um dos núcleos. Se o tumor está localizado do lado esquerdo ou direito da próstata, ou ainda se é bilateral....

Leia Mais