Telefone para contato:

(54) 98126-4699

Chimarrão sob suspeita: pesquisa aponta relação da erva mate com câncer
Jun01

Chimarrão sob suspeita: pesquisa aponta relação da erva mate com câncer

Estudo da OMS aponta que a combinação de alta temperatura da água com o herbicida usado no cultivo da erva-mate podem ser agentes cancerígenos Tradição centenária dos gaúchos, o chimarrão é apontado como provável agente cancerígeno por um estudo da Agência Internacional para Pesquisa Sobre Câncer (IARC, na sigla em inglês) da Organização Mundial da Saúde (OMS). A pesquisa acende um alerta para o hábito e abre a discussão sobre a necessidade ou não de se moderar o consumo. As opiniões sobre o material são divergentes. Ao analisar o estudo, o oncologista do Instituto do Câncer do Sistema de Saúde Mãe de Deus, Stephen Stefani, aponta que há evidências científicas nítidas de que a associação da alta temperatura da água com herbicidas da erva-mate aumentam os riscos de câncer no esôfago, no estômago e na boca. O herbicida apontado no estudo é o glifosato, utilizado no cultivo da erva-mate para matar a vegetação que cresce ao redor da planta. Sem abrir mão O oncologista alerta que há uma quantidade regulamentada pelo Ministério da Saúde de herbicida para cada produto. Porém, admite que é muito pouco provável que o consumidor tenha acesso a esta informação. Mesmo assim, acredita que vale o esforço de buscar uma marca de confiança e, principalmente, não tomar a bebida quente demais e evitar o excesso. – Se aquele consumidor toma chimarrão a uma temperatura que só ele consegue beber, é porque está muito quente. Neste caso, é prudente que ele mude seus hábitos. O mesmo vale para aqueles que tomam chimarrão várias vezes ao dia – aconselha. Mesmo que seja pertinente a recomendação de se evitar excessos, o estudo não diz que o chimarrão deve ser evitado, diferentemente do cigarro, por exemplo, em que há uma recomendação clara da OMS para não ser consumido. – O gaúcho não precisa ficar com medo, não é uma evidência científica forte para se abrir mão do hábito – ameniza Stephen. Para a oncologista e coordenadora do Centro de Prevenção de Câncer da Santa Casa de Porto Alegre, Alice de Medeiros Zelmanowicz, o estudo da OMS não avança em relação às classificações que a organização já havia feito em 1991, quando apontou que a erva-mate poderia ter ligações com o câncer de boca. Alice alerta que as evidências apontadas são frágeis e que elas não justificam mudanças de hábito: – Não existe evidências científicas suficientes, o que causa câncer de boca, por exemplo, é cigarro e álcool. Embora indique cuidados, estudo não aponta a necessidade de deixar o hábito Foto: Adriana Franciosi/Agência RBS Herbicida facilita o cultivo da erva-mate Em meio à carência de mão de obra no campo, o...

Leia Mais
Obesidade na adolescência aumenta risco de câncer no intestino, diz estudo
Mai28

Obesidade na adolescência aumenta risco de câncer no intestino, diz estudo

Pesquisa acompanhou 240 mil homens suecos por 35 anos; os jovens que eram obesos tiveram 2,38 vezes mais chances de desenvolver tumor colorretal. Adolescentes acima do peso têm risco maior de desenvolver câncer no intestino no futuro, de acordo com um estudo da Universidade de Harvard e do hospital da Universidade de Orebro, na Suécia. Os pesquisadores acompanharam cerca de 240 mil homens suecos por 35 anos. A análise, divulgada na publicação científica Gut, mostrou que os adolescentes acima do peso tinham o dobro do risco de ter câncer do que os com peso adequado. As chances são ainda mais altas para adolescentes obesos. O câncer de intestino é o terceiro tipo de câncer mais comum no mundo, com cerca de 1,4 milhão de novos casos por ano. O consumo de carne vermelha processada e gordura abdominal já tinha sido ligado ao desenvolvimento da doença. Crescimento acelerado Os participantes do estudo tinham idades entre 16 e 20 anos quando a pesquisa começou. A grande maioria tinha peso normal, mas 6,5% estavam acima do peso e 1% era obeso. Houve 855 casos de câncer colorretal no estudo. Os obesos tiveram 2,38 vezes mais chances de desenvolver tumor no intestino. “O final da adolescência marca a transição da infância para a idade adulta e é um período de crescimento acelerado, principalmente entre homens, então esse período pode representar uma janela crítica”, diz o estudo. “É importante que entendamos o papel da infância e da adolescência no desenvolvimento de câncer colorretal.” “A forte associação observada entre obesidade na adolescência e câncer colorretal na passagem para a meia idade e o aumento da prevalência de obesidade na adolescência pode lançar luz sobre o crescimento da incidência de câncer colorretal entre adultos”, adicionou. Fortes indícios Rachel Thompson, do Fundo Mundial para Pesquisas sobre Câncer, disse que os indícios sugerem que a obesidade é um fator de risco para câncer de intestino. “A descoberta é interessante porque dá uma indicação que o câncer de intestino pode estar associado ao estilo de vida ao longo da vida.” “De certas maneiras, pesquisas entre a relação entre fatores como a obesidade e risco de câncer ainda estão começando.” “Será interessante ver se pesquisas futuras comprovarão a relação entre gordura corporal na juventude e risco de câncer no futuro.” Fonte: Bem...

Leia Mais
OMS anuncia inclusão de 16 remédios para câncer nos sistemas públicos de Saúde
Mai19

OMS anuncia inclusão de 16 remédios para câncer nos sistemas públicos de Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou neste mês a inclusão de 16 novos medicamentos para tratar o câncer na Lista-Modelo de Medicamentos Essenciais para Adultos (EML) e Crianças (eMLC). Agora a organização considera como prioritários para o tratamento oncológico um total 46 fármacos, que devem ser oferecidos no sistema público de todos os países. Os novos remédios foram sugeridos à organização por um estudo feito por 90 médicos espalhados pelo mundo. Um dos colíderes da força-tarefa do estudo, Gilberto Lopes, do Centro Paulista de Oncologia do Grupo Oncoclínicas do Brasil, ressaltou que esta foi a maior inclusão de medicamentos desde a criação da lista, em 1977. “Ficamos muito contentes que a OMS aprovou 16 das 22 drogas que sugerimos. Elas têm impacto significativo na sobrevida e, muitas vezes, na qualidade de vida dos pacientes”, informou Lopes. “Ela inclui alguns medicamentos que já são genéricos, mas também de alguns de alto custo, como o trastuzumab, o imatinib e o rituximab, que são usados para tratamento de câncer de mama, mieloide crônica e linfoma, respectivamente”. O oncologista lembrou que o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece vários dos medicamentos recém incluídos na lista, mas alguns são restritos a tratamentos específicos. Ele citou, como exemplo, o trastuzumab que.está aprovado no SUS somente para o tratamento adjuvante, que é posterior à cirurgia, para prevenir que a doença volte. “A lista da OMS agora também inclui a droga para o tratamento de pacientes com a doença mais avançada, metastática, para que elas vivam melhor e por mais tempo. Essa é uma das novidades da lista deste ano, incluímos não só os remédios, mas também as indicações para as quais eles são considerados essenciais”, declarou. Lopes comemorou também o fato de a OMS ter sinalizado que a atualização da lista-modelo passará a ser anual ou bienal. “A última revisão ocorreu há mais de uma década, mas conseguimos chegar a um acordo de que essas revisões devem ser periódicas e não só quando há pressão muito grande de pacientes e médicos. Assim, poderemos tentar incluir na próxima revisão alguns medicamentos que consideramos muito importantes, mas que não estão na lista”,...

Leia Mais
Tipo de vitamina B3 pode ajudar a reduzir o câncer de pele, diz estudo
Mai18

Tipo de vitamina B3 pode ajudar a reduzir o câncer de pele, diz estudo

Suplemento vitamínico chamado nicotinamida restaura a imunidade da pele. Tratamento foi bem tolerado em pacientes com idades entre 30 e 91 anos. Um certo tipo de vitamina B3 pode ajudar a reduzir o risco de câncer de pele não-melanoma em 23%, de acordo com pesquisa divulgada nesta semana nos Estados Unidos. Conhecido como nicotinamida, o suplemento vitamínico mostrou-se eficaz em melhorar a reparação do DNA e restaurar a imunidade da pele, segundo os resultados apresentados antes do American College of Clinical Oncology Conference em Chicago, que acontece no fim deste mês. “Esta é a primeira evidência clara de que podemos reduzir o câncer de pele usando uma simples vitamina, ao lado de proteção do sol sensata”, afirmou Diona Damian, professora de dermatologia na Universidade de Sydney. O estudo analisou 386 pacientes que foram diagnosticados com, pelo menos, dois cânceres de pele – tais como carcinoma de células basais e carcinoma de células escamosas – nos últimos cinco anos. Metade recebeu aleatoriamente 500 mg duas vezes por dia de nicotinamida, enquanto a outra metade tomou um placebo. Os investigadores ressaltaram que o estudo envolveu nicotinamida, e não do ácido nicotínico, uma outra forma comum de vitamina B3, que tem sido associada com alguns efeitos secundários, incluindo rubor e pressão arterial baixa. O tratamento foi bem tolerado em pacientes cujas idades variaram entre 30 e 91 anos, considerados de alto risco devido ao histórico de câncer de pele. Quando os pacientes pararam de tomar os suplementos, o risco de contrair câncer de pele subiu novamente cerca de seis meses mais tarde, indicando que o benefício só pode ser adquirida se os suplementos são tomadas de forma consistente. “Isso está pronto para ir direto para os consultórios”, garantiu Damian. No entanto, ela alertou que o tratamento não foi testado como um remédio ou estratégia de prevenção para o público em geral, e que o filtro solar ainda é necessário para proteger contra o câncer de pele. Fonte:...

Leia Mais
Como reconhecer os sinais de câncer de pele
Mai13

Como reconhecer os sinais de câncer de pele

O câncer de pele é a forma mais comum da doença, mas, por outro lado, também é uma das mais facilmente curáveis. Segundo a Sociedade Americana de Câncer, mais de 3,5 milhões de casos da doença são diagnosticados anualmente nos Estados Unidos, mais do que todos os outros tipos de câncer combinados. No Brasil, são cerca de 190 mil novos casos todos os anos. O câncer de pele também é o de maior incidência no país. Nas últimas décadas, o número de casos vem aumentando. Quase todos resultam da exposição excessiva à luz ultravioleta, embora outros possam ser causados pelo homem, com bronzeamento artificial, por exemplo. Contudo, o risco de desenvolver melanoma, o tipo mais perigoso de câncer de pele, dobra em pessoas que costumam tomar banhos de sol frequentes. “As pessoas subestimam o dano que as queimaduras solares podem trazer à pele. Elas pensam que a vermelhidão é apenas uma parte inofensiva do processo de bronzeamento da pele, quando, na verdade, se trata de um sinal de dano irreparável”, afirmou à BBC Johnathon Major, da Associação Britânica de Dermatologistas. Segundo Walayat Hussain, especialista em câncer de pele do Leeds Teaching Hospitals NHS Trust, “o diagnóstico precoce é a chave para a cura.” Precaução A melhor maneira de prevenir o melanoma é prestar atenção à pele e, especialmente, a todos os sinais, afirmam especialistas. Confira abaixo o alfabeto para melhor decifrar o melanoma: A para ASSIMETRIA: Um sinal que, quando dividido ao meio, não parece o mesmo de ambos os lados. B para BORDA: Um sinal com bordas que são pouco definidas ou irregulares. C para a COR: Alterações na cor do sinal, incluindo escurecimento, propagação de cor, perda de cor ou aparência de diferentes cores como azul, vermelho, branco, rosa, roxo ou cinza. D para DIÂMETRO: Um sinal maior do que 1/4 de polegada (0,6 cm) de diâmetro E para ELEVAÇÃO: Um sinal que está elevado por cima da pele e possui superfície irregular. Outros sinais de alerta são: Uma ferida que não cicatriza. Propagação do pigmento da borda de uma mancha até a pele. Vermelhidão ou nova inflamação além da borda. Mudança na sensação (coceira, sensibilidade ou dor). Alterações na superfície do sinal (escamação, exsudação, sangramento, ou o aparecimento de protuberância ou nódulo). Especialistas dizem que às vezes é difícil constatar a diferença entre o melanoma e um sinal comum. Para Hussein, a recomendação, portanto, é que o paciente vá ao médico sempre que tiver dúvidas. Atenção O dermatologista britânico também deu várias dicas para prevenir o câncer de pele. “É preciso ser ponderado com relação ao sol”, disse ele. “Não se trata de não se expor...

Leia Mais
Alimentos que ajudam a perder peso, evitam o câncer e turbinam a memória
Mai07

Alimentos que ajudam a perder peso, evitam o câncer e turbinam a memória

Jadis Tillery, uma executiva de 32 anos, estava preocupada com sua cintura na hora de colocar o vestido de casamento. Para manter a boa forma até o grande dia, ela entrou em uma dieta semanal que lhe rendeu bons resultados. Jadis ingeria mil calorias por dia durante três dias, e nos quatro dias seguintes aumentava para 1.500. Vale lembrar que a ingestão diária normal recomendada para uma mulher é 2 mil calorias. Em artigo publicado pelo Daily Mail Online, ela conta que teve uma surpresa: até o final da semana havia perdido pouco mais de seis libras (unidade de medida que equivale a três kg, aproximadamente) de gordura. “Mas o verdadeiro espanto foi descobrir que eu ganharia quase 2 libras (perto de 1 kg) de músculos, mesmo sem fazer exercícios nenhum nesse período”, disse. Na estimativa, isso significa que ela perdeu um total de quatro libras (quase 2 kg). Mas o segredo de Jadis está nos alimentos que ela selecionou. Compostos químicos potentes conhecidos como ativadores sirtuin (do inglês), encontrados naturalmente em frutas e legumes, podem trazer inúmeros benefícios para a saúde. Azeitonas, azeite de oliva, cebola, couve, salsa, groselhas, sopa de missô, tofu e outros produtos de soja, alcaparras, cacau e chá verde são alguns dos alimentos classificados como sirtfood. Há evidências crescentes de que ativadores sirtuin também ajudam na construção muscular e supressão do apetite. Isso explica o porquê Jadis podia comer mais durante parte da semana e ainda assim perder peso. A vantagem de uma dieta contendo sirtfoods é a flexibilidade. Você pode comer de forma saudável adicionando algumas sirtfoods ou concentrando em determinados dias na semana. Outros benefícios incluem melhorar a memória, regular os níveis de açúcar no sangue, ajudando no controle e limpeza dos danos de moléculas de radicais livres que podem se acumular em células e levar ao câncer e outras doenças. Frutos e produtos hortícolas como tomates, abacates, bananas, alface, kiwis, cenoura e pepino, possuem, na verdade, baixa quantidade de ativadores sirtuin. No entanto, isso não significa que eles não são importantes. Fonte: Catraca...

Leia Mais
Página 3 de 6412345...102030...Última »