Telefone para contato:

(54) 98126-4699

Exame de sangue detecta até 86% de casos de câncer de ovário precocemente
Mai06

Exame de sangue detecta até 86% de casos de câncer de ovário precocemente

Um estudo britânico sugere que exames de sangue regulares podem detectar 86% dos casos de câncer no ovário de forma precoce. Exames feitos durante 10 anos em mais de 46 mil mulheres britânicas sugerem que este tipo de tumor pode ser detectado em um estágio inicial da doença. O câncer de ovário pode ser fatal pois, frequentemente, é diagnosticado muito tarde. A doença é de difícil de ser diagnosticada pois seus sintomas – dores abdominais, inchaço persistente e dificuldades para se alimentar – também são comuns em outros males. Mas exames de sangue podem detectar variações nos níveis da substância CA125, produzida por tumores no ovário. Para o estudo, o grupo de pesquisadores britânicos UK Collaborative Trial of Ovarian Cancer Screening fez exames de sangue anuais em mulheres que já tinham passado pela menopausa. Os cientistas checavam alterações nos níveis do CA125 durante os testes. Quando os níveis subiam, as mulheres eram encaminhadas para mais exames, incluindo um ultrassom. Os resultados dos testes, publicados na revista especializada Journal of Clinical Oncology, mostraram que 86% dos casos de câncer foram detectados a partir dos exames de sangue. “(O resultado) É bom, mas o importante é se detectamos o câncer cedo o bastante para salvar vidas, esperamos ter feito isto”, disse à BBC o professor Usha Menon, do University College de Londres, que participou da pesquisa. Os dados sobre os casos de morte entre as 46 mil mulheres examinadas serão divulgados ainda em 2015. Maior projeto Estudos anteriores questionavam o benefício de promover exames para detectar câncer no ovário. Mas, com este estudo, o maior já realizado do tipo no mundo, visa justamente chegar a uma conclusão final sobre o tema. Os testes foram realizados de 2001 a 2011 – agora foram divulgados os resultados preliminares, que se mostraram promissores. O método dos cientistas, de monitorar o CA125, determina o que pode ser considerado como nível alto da substância para cada mulher individualmente. Este método parece ser duas vezes mais eficaz do que tentativas anteriores que usavam os mesmos parâmetros para todas as mulheres. A abordagem personalizada pode ser útil também para detectar outros tipos de câncer, como o de próstata. O professor Usha Menon disse que mesmo os tumores que se mostraram mais agressivos puderam ser detectados bem antes do que normalmente seriam – aumentando as chances de sobrevivência do paciente. O Comitê de Exames da Grã-Bretanha está acompanhando de perto esta pesquisa e poderá até rever como são feitos os exames no país uma vez que os resultados totais da pesquisa sejam divulgados. “Estes resultados iniciais animadores podem, no futuro, formar a base de um programa nacional de exames...

Leia Mais
Exercício moderado pode ser mais eficaz para o tratamento de câncer
Mai05

Exercício moderado pode ser mais eficaz para o tratamento de câncer

De acordo com pesquisadores, alta intensidade de atividade física pode ser prejudicial Uma caminhada sem pressa, um passeio pelo parque ou uma corrida leve. Pesquisadores acreditam nesse tipo de exercício para ajudar na eficácia do tratamento de câncer. Nem atividade física em níveis intensos, nem abandonar de vez a prática aeróbica. O segredo, de acordo com estudo realizado na Universidade Estadual do Kansas, é moderar. Brand Behnke, professor de fisiologia da universidade, mostrou que praticar exercícios físicos em nível moderado melhora a oxigenação do tumor em pessoas com câncer, o que pode fazer o tratamento progredir. Para estudar a atividade física razoável como uma forma de tratamento de radiação mais eficaz, especialmente para tumores mais complicados, Behnke recebeu uma concessão de US$ 750 mil da Sociedade Americana de Câncer. — Uma intervenção com exercícios tem um efeito positivo em relação a outros tratamentos que podem ter efeitos secundários prejudiciais. Praticar atividade física é um tipo de terapia que beneficia vários sistemas do corpo, e pode alterar permanentemente a parte interna do tumor — explica o professor. O Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos recomenda exercícios físicos tanto para pacientes com câncer quanto para aqueles que já passaram pela doença. Porém, poucas pesquisas mostram o que acontece dentro dos tumores durante a prática de atividades, o que serviu de estímulo para que Behnke unisse o conhecimento em fisiologia a pesquisas sobre o câncer para tentar chegar a uma conclusão relevante. — Eu fiquei interessado e quis descobrir o que acontece dentro do tumor durante e depois da prática de atividades como uma forma de aprimorar os resultados do tratamento — disse Behnke. O pesquisador usou modelos de câncer de próstata para encontrar maneiras de melhorar a oxigenação dos tumores. Pois, segundo ele, o tumor é frequentemente mais agressivo quando recebe pouco oxigênio. Como resultado, tumores com baixa de oxigênio geralmente são resistentes às terapias tradicionais de câncer e certas intervenções, como a respiração de oxigênio concentrado, por exemplo. — Se nós manipularmos alguns sistemas no corpo, como pulmões, coração e vasos sanguíneos, com exercícios físicos, podemos aumentar o fluxo de sangue. O resultado é um aumento substancial da oxigenação do tumor durante e após a atividade —afirma Behnke. Segundo a pesquisa, praticar pouca atividade física – ou nada – certamente não irá apresentar efeito algum, mas exagerar nos exercícios pode resultar em consequências negativas, desativando o fluxo de sangue para a região do tumor ou prejudicando o sistema imunológico. A pesquisa mostrou também que o exercício moderado pode ajudar pacientes com câncer a neutralizar alguns dos efeitos colaterais do tratamento, como baixa contagem de sangue, fadiga e perda da musculatura. — E não há qualquer...

Leia Mais
Câncer de Boca: inimigo silencioso que pode ser evitado sem cigarro e álcool
Mai04

Câncer de Boca: inimigo silencioso que pode ser evitado sem cigarro e álcool

Muitos ainda ignoram, mas o câncer de boca é um inimigo silencioso que pode, em muitos casos, levar à morte. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram um prognóstico assustador para os próximos 15 anos, ou seja, a possibilidade de 10 milhões de mortes no mundo, caso não haja um alerta a população sobre os riscos da doença. O cigarro e o alcoolismo são as principais causas dessa patologia, que afeta principalmente a cavidade oral. Em silêncio, a doença avança e vai fazendo as suas vítimas no Brasil. Em uma pesquisa realizada em 2012, havia previsão de 14.170 novos casos, é o que afirma a gerente do Programa de Saúde Bucal da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Lourdes Mota. Em Alagoas, os números mostram que em 2013 foram registrados 34 casos, sendo nove do palato, 10 em outras partes da boca e 15 no assoalho da boca. A doença afeta mais os homens, mas as mulheres devem ficar atentas e todos devem ir regularmente ao dentista. Causas O tabagismo e o alcoolismo são os principais fatores de risco. Quanto mais fumam e consomem bebidas alcoólicas em excesso, há possibilidade de desenvolver a doença. Outro fator é a falta de higiene bucal e a alimentação pobre em vitaminas e sais minerais. Os especialistas alertam ainda sobre a exposição excessiva ao sol, que aumenta o risco de desenvolver o câncer do lábio. Com o autoexame, que pode ser feito pela própria pessoa ou numa simples consulta regular ao dentista, é possível detectar possíveis anormalidades na boca, como feridas caroços, inchaços e outros. De acordo com Lourdes Mota, essa prevenção pode evitar que futuramente o paciente tenha um problema mais grave, porque a doença detectada no início pode levar à cura. Porém, muitos só descobrem quando está em estágio avançado e muitos terminam indo a óbito. Segundo ainda a gerente do Programa de Saúde Bucal, a doença surge nos homens a partir dos 60 anos, mas os que fazem uso de tabaco e álcool devem ficar mais atentos e iniciar a prevenção aos 40 anos, indo ao dentista pelo menos uma vez ao ano. O tratamento do câncer bucal é realizado com radioterapia e...

Leia Mais
Novo exame pode prever risco de câncer de mama 5 anos antes
Abr30

Novo exame pode prever risco de câncer de mama 5 anos antes

A publicação, no entanto, não revela se o exame começará em breve a ser usado comercialmente Um novo exame de sangue – melhor do que a mamografia para a detecção de risco e possível prevenção do câncer de mama – anima os cientistas. O exame foi testado e validado através do monitoramento e estudo na Universidade de Copenhagen durante anos e agora foi publicado na revista Metabolomics. As informações são do IFL Science. Pesquisadores procuram novos biomarcadores que podem ajudar com a detecção precoce do câncer, mas esses esforços têm tido sucesso limitado. Assim, buscando uma abordagem mais abrangente, a Universidade de Copenhagen adaptou um método da ciência dos alimentos, realizado para o controle de processos industriais complexos: em vez de examinar um único biomarcador, fizeram a análise de todos os compostos contidos em uma amostra de sangue. “Quando uma quantidade de medidas relevantes de diversas pessoas é usada para avaliar os riscos do câncer de mama, criam-se informações de altíssima qualidade. Quanto mais medições nossas análises tiverem, teremos melhores modelos para a solução de problemas complexos”, explica Rasmus Bro, da equipe de cientistas da Universidade. Para tanto, foram testados o plasma de 400 mulheres voluntárias em 1997 que não apresentavam quadro de câncer quando foram examinadas, mas que foram diagnosticadas com a doença entre 2 e 7 anos depois da primeira amostra de sangue retirada. Ao mesmo tempo, foram testados exames de outras 400 doadoras que não desenvolveram câncer. Depois disso, criaram um perfil metabólico do sangue para cada uma das amostras, que foram armazenadas por quase 20 anos em nitrogênio líquido. “Não é somente uma parte do padrão que é necessário ou suficiente. O modelo todo é necessário para prever o câncer”, explica o cientista coautor do estudo, Lars Ove Dragsted. Assim, a equipe criou o chamado “biocontour” – um modelo complexo de informações biológicas e fenótipos (o que é observável, ao contrário das características chamadas de genótipos) das amostras. O biocontour pode prever se há um risco de câncer de mama a se desenvolver na paciente de 2 a 5 anos após a amostra colhida, com uma sensibilidade de 80 por cento. “O método é melhor que a mamografia, que pode ser somente usada nas mulheres quando a doença ocorreu. Não é perfeito, mas é encantador saber que você pode prever o câncer de mama anos antes”, afirmou Bro. A publicação, no entanto, não revela se o exame começará a ser usado comercialmente em breve. Fonte:...

Leia Mais
Excesso de vitaminas aumenta risco de doenças cardíacas e câncer, diz estudo
Abr24

Excesso de vitaminas aumenta risco de doenças cardíacas e câncer, diz estudo

Médicos recomendam consumir as vitaminas pelos alimentos   A maioria das pessoas que consome qualquer tipo de vitamina acredita que elas vão melhorar a saúde e proteger o organismo de doenças. Porém, um novo estudo constatou que ingerir vitaminas demais pode aumentar o risco de doenças cardíacas e até o câncer. A pesquisa foi realizada por mais de dez anos, de acordo com informações do site DailyMail. O médico Tim Bryers, membro do Centro de estudos do câncer da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, afirma que há algumas décadas, foi descoberto que frutas e vegetais diminuíam o risco de câncer. — Sabemos que as vitaminas são benéficas, mas a pesquisa mostrou que o excesso pode ter o efeito contrário e prejudicar a saúde. Durante o estudo, foi descoberto que as chances de contrair câncer de pulmão aumentam em 20% se a pessoa ingerir mais do que o recomendado de vitaminas com betacaroteno, substância encontrada na cenoura e abóbora, por exemplo. — Não queremos assustar ninguém com esses números. Só queremos alertar para o excesso. Se tomadas na dosagem correta, as vitaminas são muito benéficas para complementar a alimentação defasada. O estudo foi divulgado no encontro anual da Associação Americana de Estudos de Câncer de...

Leia Mais
Rúcula auxilia na visão, prevenção do câncer e é antioxidante
Abr22

Rúcula auxilia na visão, prevenção do câncer e é antioxidante

Segundo a nutricionista Matilde Alves, a rúcula possui antioxidantes que auxiliam na redução do risco de vários tipos de câncer e de doenças cardiovasculares A rúcula é um alimento de sabor exótico de origem asiática e possui uma série de substâncias boas para a saúde, entre elas as vitaminas A, C e K. Ela ainda auxilia na perda de peso, prevenção do câncer e atua como antioxidante, sendo também ótima para a visão. No mercado das Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES), a hortaliça custa em média R$ 2,78 o quilo. Nos primeiros três meses do ano circularam para venda no local cerca de 31.082 quilos. As vitaminas A e C ajudam a aumentar a imunidade do corpo e são ótimas para os olhos, pele, ossos e dentes. A Vitamina C é conhecida como um poderoso antioxidante, que ajuda a prevenir o câncer e estimula o sistema imunológico. A vitamina também ajuda a prevenir a degeneração macular, evitando assim a catarata nos olhos. A rúcula possui uma grande quantidade de vitamina K. O consumo diário dessa vitamina leva à diminuição dos riscos de fraturas ósseas. A rúcula também é uma boa fonte de cálcio, ferro, potássio, manganês e fósforo, todos os minerais essenciais que oferecem benefícios à saúde. Segundo a nutricionista Matilde Alves, a rúcula possui antioxidantes que auxiliam na redução do risco de vários tipos de câncer e de doenças cardiovasculares. “Essas substâncias também ajudam a retardar o desenvolvimento de algumas doenças relacionadas ao envelhecimento. Entre as propriedades benéficas da rúcula, encontram-se o betacaroteno, o cálcio, o ferro, o potássio, o manganês e o fósforo, todos os minerais essenciais à saúde. A vitamina K da rúcula ajuda na fabricação de proteínas que regulam a coagulação do sangue, “relata a nutricionista. Curiosidades O ideal é comprar a rúcula na quantidade certa para o consumo imediato, pois sua durabilidade é pequena. A rúcula deve conter folhas verdes e firmes. Fora da geladeira a folha dura no máximo um dia, desde que o local esteja bem fresco. Na geladeira, em saco plástico ou vasilha com tampa, a rúcula dura cerca de quatro dias. Se as folhas já foram lavadas, seque-as totalmente antes de guardar. Quando as folhas começam a murchar, podem ser usadas, assim como os talos, em sopas de legumes. As folhas são utilizadas em saladas e são combinadas com tomate seco, muçarela de búfala, figo fresco e manga. Sabendo de todos os benefícios dessa hortaliça, a melhor dica e consumi-la de uma forma bem saborosa. Omelete de rúcula Ingredientes 3 ovos 3 colheres (sopa) de leite 1/2 xícara de rúcula 1/3 xícara de queijo ralado 1/2 colher (chá)...

Leia Mais
Página 4 de 64« Primeira...23456...102030...Última »