Telefone para contato:

(54) 98126-4699

Diabetes aumenta risco de desenvolver câncer de mama e cólon
Out09

Diabetes aumenta risco de desenvolver câncer de mama e cólon

Pesquisa mostra que pacientes com diabetes têm maiores chances de desenvolver esses tipos de tumores e de morrer em sua decorrência do que pacientes saudáveis Uma nova pesquisa realizada por cientistas holandeses mostra que o diabetes está ligado a um risco maior de desenvolver câncer de mama e de cólon, além de aumentar o risco de morte relacionado a esses dois tumores. A pesquisa foi apresentada no Congresso Europeu de Câncer de 2013 realizado em Amsterdã, Holanda, neste domingo. Segundo os pesquisadores, estudos anteriores já haviam detectado uma associação entre diabetes e a morte por câncer, mas não haviam sido capazes de distinguir tipos específicos de tumor. “Nosso estudo é o primeiro a combinar a incidência e mortalidade por câncer de mama e de cólon, excluindo todas as outras causas de morte”, diz Kirstin De Bruijn, pesquisadora do Centro Médico da Universidade Erasmus de Roterdã, na Holanda, e autora do estudo. Para chegar a seu resultado, os pesquisadores analisaram os dados de vinte pesquisas realizadas entre 2007 e 2012, envolvendo mais de 1,9 milhão de pacientes com câncer de mama ou de cólon, com e sem diabetes. Os cientistas descobriram que os pacientes com diabetes tiveram um risco 23% maior de desenvolver câncer de mama, e um risco 38% maior de morrer da doença em comparação com pacientes não diabéticos. Além disso, os pacientes diabéticos apresentaram um risco 26% maior de desenvolver câncer de cólon, e um aumento de 30% no risco de morte em relação à doença. “Os pacientes com câncer que são obesos e diabéticos são um grupo mais vulnerável já no momento da cirurgia, pois eles têm um risco maior de desenvolver complicações durante e após o procedimento”, afirma De Bruijn. Segundo a pesquisadora, o número de pacientes obesos que desenvolvem diabetes não para de aumentar em todo o mundo — o que aumenta ainda mais a importância de conscientizar os pacientes sobre os malefícios dessa doença. “Nossa meta-análise fornece uma evidência forte para a associação entre o diabetes e o risco de desenvolver e morrer câncer de mama ou de cólon. Devemos tornar as pessoas mais conscientes deste problema e esperamos que as campanhas de prevenção voltada a pacientes obesos e diabéticos passem a destacar esse risco.” “É extremamente importante que as campanhas de prevenção sobre obesidade e diabetes sejam intensificadas e que também incidam sobre crianças, para impedi-las de se tornar obesas e desenvolver esses cânceres mais tarde na vida”, diz a pesquisadora. Fonte: Veja...

Leia Mais
Programação Outubro Rosa em Caxias do Sul
Out09

Programação Outubro Rosa em Caxias do Sul

Confira abaixo a programação do Outubro Rosa em Caxias do Sul, e programe-se para participar. A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria da Saúde – Programa Vigimama,  em parceria com diversas entidades, dá início a partir da próxima terça-feira (01.10) à programação do Outubro Rosa, movimento internacional de luta contra o câncer de mama. A abertura oficial e apresentação das atividades do mês estão marcadas para sexta-feira (04.10), às 11h, no Salão Nobre do Centro Administrativo. A programação inicia com a Semana Especial nas UBSs, quando vai ocorrer distribuição de material educativo, orientações às pacientes, intensificação das solicitações de mamografias e coleta de exames citopatológicos. Durante todo o mês, prédios públicos e privados vão receber a iluminação rosa em virtude da campanha. Pela Prefeitura serão iluminados de rosa o Centro Administrativo e o Pronto Atendimento 24h. Neste ano, a campanha ganhou um visual diferente. Uma tela inédita do artista plástico caxiense Fábio Balen ilustra o folder e o cartaz. “A intenção é dar destaque pelo visual à importância da campanha e da prevenção e, acima de tudo, elevar a auto estima das pacientes”, destaca a secretária da Saúde, Dilma Tessari. O Outubro Rosa 2013 conta com o apoio da AAPECAN, ACMCS, Câmara de Vereadores, Catedral Diocesana, CIC, Círculo Operadora Integrada de Saúde, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CONDIM), E.C. Juventude, Hospital Geral, Hospital Pompéia, Instituto De Vitta, Liga Feminina de Combate ao Câncer, Paróquia Imaculada Conceição (Capuchinhos), Paróquia de Lourdes, Paróquia de São Pelegrino, Paróquia São Pio X, SAMAE, S.E.R. Caxias, Shopping Iguatemi, Prataviera Shopping, San Pelegrino Shopping Mall, SSI Saúde, UCS e Unimed. História do Outubro Rosa: O movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados realizavam ações isoladas referentes ao câncer de mama. Após aprovação no Congresso Americano, o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama. A história do Outubro Rosa remonta a última década do século XX, quando o laço cor-de-rosa foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York. Em 1997, entidades americanas começaram a comemorar e fomentar ações voltadas à prevenção do câncer de mama, denominado Outubro Rosa. Todas as ações são direcionadas à conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce. Para sensibilizar a população, inicialmente as cidades se enfeitavam com laços rosas, principalmente nos locais públicos. A ação de iluminar de rosa monumentos, prédios públicos, pontes e teatros surgiu posteriormente, sem data definida. O importante é que foi uma forma prática para que o Outubro Rosa fosse expandido e que pudesse ser replicado, bastando apenas adequar a iluminação já...

Leia Mais
CCJ aprova projeto da deputada Marisa Formolo que prevê doação de perucas para pacientes com câncer
Set04

CCJ aprova projeto da deputada Marisa Formolo que prevê doação de perucas para pacientes com câncer

Proposta da parlamentar caxiense tramita na Assembleia Legislativa desde julho do ano passado “A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa deu uma importante contribuição para a reconstituição da autoestima e consequente recuperação da saúde dos pacientes de câncer no Rio Grande do Sul”. Essa foi a avaliação feita pela deputada Marisa Formolo (PT), ao comemorar a aprovação, na manhã desta terça-feira (3), do parecer favorável ao PL 165/2012. De autoria da deputada, a proposta estabelece o fornecimento de perucas às pessoas com alopécia (perda de cabelo) provocada pela aplicação de quimioterapia. Por 10 votos a zero, os deputadas da CCJ aprovaram o parecer favorável do relator, deputado Dr. Basegio (PDT). Pessoas que se submetem à quimioterapia podem ter queda de cabelos durante o tratamento. No caso da aplicação intravenosa da medicação, essa reação é ainda mais frequente, por isso a deputada Marisa apresentou, em julho do ano passado, o projeto. “Com a perda de cabelo vem uma preocupação extra para os pacientes, principalmente no caso das mulheres: achar alternativas para manter sua aparência habitual de forma a enfrentar a rotina sem grandes mudanças e a doação de perucas é um gesto simples, mas que pode significar muito para quem já está fragilizado pela doença”. Pelo projeto, o acessório deve ser fornecido aos usuários e usuárias dos Serviços de Saúde ligados ao SUS. A ideia é que as instituições de saúde ligadas ao SUS captem doações para a organização de um banco de perucas, para posterior distribuição às pessoas. Os recursos necessários para implantação destas ações serão objeto de previsão orçamentária. Com este PL, a deputada quer contribuir para a recuperação da autoestima e o fortalecimento de pessoas que enfrentam o câncer. “Para algumas mulheres, o cabelo representa a identidade do ser feminino. Com a perda dele, ela passa a ter dificuldade de se inserir na vida social. Reconstituir a imagem do paciente é fundamental para o tratamento”, sustenta a parlamentar. O que diz o projeto: 165/2012: Estabelece o fornecimento de peruca às pessoas com alopécia provocada pela aplicação da quimioterapia e dá outras providências. Art. 1º- Fica garantido o fornecimento de peruca às pessoas com alopécia (queda de cabelo) provocada pela quimioterapia. Art. 2º – O acessório mencionado no artigo 1º desta Lei, será fornecidos aos usuários (as) dos Serviços de Saúde ligados ao Sistema Único de Saúde no âmbito do Estado do Rio Grande Sul. Art. 3º – Poderão as instituições de saúde ligadas ao SUS captar doações de perucas visando a organização de um banco de perucas para posterior distribuição às pessoas com alopécia provocada pela quimioterapia. Art. 4º – Os recursos necessários para implantação destas...

Leia Mais
Página 64 de 64« Primeira...102030...6061626364