Telefone para contato:

(54) 98126-4699

Exames para Diagnóstico do Câncer de Pulmão de Não Pequenas Células

Se o exame físico e os resultados dos exames de imagem sugerem um diagnóstico de câncer de pulmão, o médico solicitará a realização de outros exames, como:

  • Broncoscopia

É um procedimento invasivo que utiliza o broncoscópio, um tubo flexível, com uma pequena câmera na extremidade. O médico insere o broncoscópio pelas vias aéreas (nariz ou boca) do paciente até atingir a região onde se encontra a lesão suspeita de câncer. Ferramentas minúsculas no interior do broncoscópio são utilizadas para retirar amostras de fluído ou tecido para posterior análise. Durante a broncoscopia o paciente é sedado.

  • Ultrassom Endobrônquico

No ultrassom endobrônquico, o broncoscópio equipado com um transdutor de ultrassom em sua extremidade é inserido através da traqueia, sob anestesia local.

O transdutor pode ser apontado em direções diferentes, o que permite avaliar os gânglios linfáticos e outras estruturas no mediastino. Se áreas suspeitas são visualizadas no ultrassom, uma agulha de biópsia é inserida através do broncoscópio para colher amostras de tecido, que são enviadas posteriormente para análise no laboratório de patologia.

  • Ultrassonografia Endoscópica do Esôfago

Esta técnica é semelhante ao ultrassom endobrônquico, exceto que é inserido um endoscópio pela garganta até o esôfago, sob anestesia local e sedação leve.

Neste procedimento é possível visualizar se os gânglios linfáticos do tórax estão aumentados. Se forem detectados linfonodos aumentados é inserida uma agulha de biópsia para obter amostras destes tecidos, que serão enviadas para análise no laboratório de patologia.

  • Mediastinoscopia e Mediastinotomia

Estes procedimentos são realizados para retirar amostras da região do mediastino (área entre os pulmões). São feitos no centro cirúrgico sob anestesia geral. A principal diferença entre os métodos é a localização e o tamanho da incisão.

Mediastinoscopia – Utiliza um instrumento tubular assim como a broncoscopia. O cirurgião examina e retira uma amostra dos gânglios linfáticos do mediastino, fazendo uma pequena incisão na parte superior do esterno. Este procedimento também exige anestesia geral e é realizado no centro cirúrgico.

Mediastinotomia – Implica uma incisão ligeiramente maior, entre a segunda e terceira costela próxima a região da mama, permitindo que o cirurgião alcance os gânglios linfáticos que não podem ser alcançados por mediastinoscopia.

  • Toracocentese

Este procedimento é utilizado em casos de derrame pleural. É utilizada uma agulha estéril para retirar uma amostra do líquido para exame de laboratório.

O derrame pleural também pode ser causado por outras condições, como insuficiência cardíaca ou infecções.

  • Toracoscopia

É uma técnica cirúrgica utilizada para a realização de biópsia de lesões pulmonares periféricas.Através de um pequeno corte na pele na parede torácica, o cirurgião insere um instrumento especial com uma pequena câmara de vídeo acoplada para auxiliar na observação e exame do interior do tórax.

É um método menos invasivo, as amostras coletadas também são encaminhadas para estudo anatomopatológico que é quem define o diagnóstico.

O paciente necessita de anestesia geral, mas o tempo de recuperação pode ser mais curto com uma toracoscopia, já que as incisões são menores.

<– Voltar

CAPC

Autor: CAPC

O CAPC visa principalmente a assistência humanitária e social às pessoas com câncer e seus familiares em situação de vulnerabilidade.

Compartilhe!